Você está em:
IMPRIMIR

Congonhas: Após ser destaque em site de turismo, distrito de Lobo Leite quer atrair mais visitantes

14 de Fevereiro de 2017

{BB521E6C-DC0D-CB38-1BBC-ABEDD6B142B5}

Distrito de Lobo Leite possui o segundo mais importante conjunto arquitetônico de Congonhas, conhecida como cidade dos profetas por abrigar o conjunto artístico da Basílica de Bom Jesus do Matosinhos 

PSDBnacidade2

Fruto da atividade dos primeiros exploradores de ouro no Brasil, nos séculos 17 e 18, Lobo Leite, distrito do município de Congonhas, na região Central, tornou-se um lugar charmoso, pitoresco e lindo. A afirmação é do site especializado em turismo “Conheça Minas” que o apontou, em janeiro, como um dos oito mais atraentes de Minas. (Clique AQUI e confira a publicação sobre Lobo Leite no Conheça Minas) 

Congonhas, conhecida como a cidade dos profetas, abriga também o conjunto arquitetônico e artístico da Basílica de Bom Jesus do Matosinhos. Em 1985, foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade. Construído em várias etapas e por vários mestres, artesãos e pintores, como o Aleijadinho e Manuel da Costa Ataíde, a basílica é uma das maiores realizações do barroco brasileiro.

Por ter sido um importante centro de mineração, a região atraiu muito portugueses em busca das lavras auríferas. E foram os portugueses os responsáveis pela criação do distrito de Lobo Leite.

Os pouco mais de mil habitantes do distrito já se orgulhavam do Inconfidente Cônego Luiz Vieira, da tradicional família portuguesa Lobo Leite Pereira que ali se fixou e deu nome ao local, e de acolher o segundo mais importante conjunto arquitetônico de Congonhas, de acordo com especialistas, depois do conjunto arquitetônico da Basílica de Bom Jesus do Matosinhos.

Com a indicação do site, os moradores de Lobo Leite começam agora a se articular para acolher melhor os turistas.

Antigo distrito de Soledade

lobo leite

Com o nome de Soledade, o atual distrito de Lobo Leite experimentou grande desenvolvimento após 1886, com construção da estação ferroviária no local. As telhas do prédio foram importadas de Marselha, na França. A estação funcionou por muito tempo transportando passageiros e mercadorias.

Restaurada em 2013, o local abriga hoje um Telecentro e um espaço multiuso, que é utilizado pelo grupo de artesanato Pata da Loba, formado por mulheres que complementam o orçamento familiar. Elas produzem peças de cama, mesa e banho decoradas com os arabescos do casario local e utensílios feitos com conta-de-lágrima.

Outra construção de grande valor é a Igreja de Nossa Senhora da Soledade, tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha). Ela possui características do início da primeira metade do século 18, contendo na nave o púlpito em estilo rorocó.

A imagem da padroeira é única na região. A restauração ocorrida em 2009 foi realizada graças à união da comunidade, prefeitura e Igreja. Dona Efigênia da Conceição Ferreira, de 77 anos, é zeladora da igreja desde jovem e já percebe novos olhares voltados para Lobo Leite. “Ultimamente noivas querem se casar aqui e turistas pedem pra gente abrir a igreja. Foi muito importante a internet chamar a atenção para a igreja, mas precisamos oferecer uma estrutura para receber as pessoas. Agora precisamos ver o telhado”, afirma.

O diretor de Patrimônio Histórico da Prefeitura de Congonhas, Luciomar de Jesus, acredita que a redução da velocidade do trem, que já ocorreu no passado, impediu novos danos ao telhado. “Pequenos reparos feitos pela paróquia ou algum parceiro evitariam outra restauração. E precisaram organizar encontros, terços, catecismo e missas para facilitar a visitação. O local é claro e ventilado. Não é habitat de morcegos, por exemplo. Se cada um fizer a sua parte, o patrimônio será preservado”, afirmou.

Igreja

Crescimento do turismo

Presidente da Associação Comunitária de Lobo Leite (ASCOLL), Renata Freitas comemora o crescimento do turismo local. “Prefeitura, comunidade, iniciativa privada e igrejas juntas podemos potencializar esta atividade. Por meio da Gerdau, a ASCOLL oferece oficina de artesanato em ferro e madeira para artesãos e, assim, podemos ofertar mais produtos”, diz. Ela abrirá uma cervejaria artesanal à visitação e degustação.

A Escola Municipal Amyntas Jacques de Moraes, de Lobo Leite, desenvolve um trabalho de educação patrimonial. “Os alunos produzem maquetes dos casarões do distrito, visitam a igreja, fazem o levantamento da culinária local, em que se destacam a broa de fubá, o cubu e a bala amêndoa artesanal. Eles precisam aprender a valorizar nosso patrimônio material e imaterial”, afirma a diretora escolar, Fátima Lobo.

Em seu segundo mandato, o prefeito tucano José de Freitas Cordeiro, o Zelinho, adiantou que continuará a trabalhar para incentivar o turismo em Congonhas. “Será um trabalho de grandes parceiros, para fazermos um município cada vez melhor. Congonhas foi escolhida a melhor cidade de pequeno porte do Brasil em 2015 por estes e outros motivos”, afirmou o prefeito em seu discurso de posse, no dia 1º de janeiro.