Você está em:
IMPRIMIR

Governo ignora crise e jetons engordam salário de secretários

11 de fevereiro de 2016

salarioPimentel

Os altos salários pagos a secretários de Estado vêm reforçando a incoerência do governo Fernando Pimentel. Sem dinheiro em caixa para sequer pagar em dia os servidores públicos, o governo desembolsou em 2015 nada menos do que R$ 900 mil em jetons para turbinar os salários de oito de seus 20 secretários. Para se ter uma idéia, em apenas um mês (dezembro/2015) a remuneração do secretário de Planejamento, Helvécio Magalhães, chegou a R$ 90 mil, sendo mais de R$ 42 mil só em jetons.

Em reportagem publicada nesta quinta-feira (11/02), o jornal Metro lembrou que, enquanto o governo gasta altas cifras com seu alto escalão, funcionários públicos estaduais estão com seus salários escalonados, muitos sendo parcelados em até três vezes. A reportagem ainda informou que, mesmo estando com um déficit de R$ 8,9 bilhões, o governo ainda reajustou o valor dos jetons pagos aos secretários no ano passado. Para os que ocupam cargo no Conselho da Cemig, o aumento dos jetons foi de 60%, passando para R$ 11.556,37. Já na Codemig o reajuste foi de 50%, elevando a gratificação para R$ 7.500 por mês.

A repercussão negativa dos altos salários dos secretários fez com que o governo tirasse do Portal da Transparência a especificação dos valores gastos com os jetons. Em fevereiro, após vários dias fora do ar, o Portal passou por uma atualização e, agora, quem consulta o nome dos secretários e funcionários do alto escalão não mais consegue visualizar o pagamento das gratificações pagas por participação em conselhos. Para encontrar estes valores é necessário baixar uma planilha com nada menos do que 373.240 linhas, e a procurar por cada secretário.

Leia a matéria do jornal Metro na íntegra

Leia mais: Governo de Minas esconde pagamento de jetons e supersalários de secretários