Você está em:
IMPRIMIR

Governo Fernando Pimentel atrasa mais uma vez os salários dos servidores públicos estaduais

24 de agosto de 2017

ESCALONA_2
Segunda parcela do salário, que deveria ter sido paga nessa quarta-feira (23/8), ainda não foi depositada

O desgoverno e o descalabro administrativo da gestão do PT em Minas continuam prejudicando os mineiros e, em particular, os servidores públicos estaduais. São quase dois anos com salários parcelados. E agora, mais uma vez, o funcionalismo sofre com o atraso no pagamento. Desta vez foi a segunda parcela da folha de julho que deveria ter sido paga nessa quarta-feira (23/8) e ainda não foi depositada. Questionada, a Secretaria de Estado da Fazenda informou que trabalha para resolver a questão “o quanto antes”.

Por causa do novo atraso, os servidores da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) paralisaram as atividades. Em entrevista à rádio Itatiaia, o diretor do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual de Minas (Sindifisco-MG), Júlio Marcelo, disse estar temeroso também com o pagamento da terceira parcela do salário de julho, programada pelo governo para ser paga no dia 30. “A gente vê uma dificuldade no cumprimento desse cronograma. É um cronograma estabelecido pelo próprio governo e ele não vem sendo cumprido. Então, existe um risco desse pagamento não acontecer no dia 30 também”, afirmou.

A paralisação da categoria afetou os postos fiscais aduaneiros de Confins e de Betim, que estão totalmente paralisados. Com isso, a análise e liberação de mercadorias importadas deixaram de ser feitas.

Fernando Pimentel cancelou participação, na manhã desta quinta-feira, de evento em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O petista seria recebido com protesto de servidores, que carregavam cartazes com os dizeres: “Acorda Pimentel. Acordo assinado deve ser honrado!!!”. O cartaz era ilustrado com uma urna eletrônica de votação.

Funcionalismo penalizado

O presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio, afirmou que é inaceitável que o governo de Fernando Pimentel não cumpra as garantias dadas aos servidores ao longo dos 12 anos das gestões tucanas no estado.

”Nos governos do PSDB, o pagamento integral dos salários sempre foi feito no quinto dia útil. Era um compromisso com os servidores inaugurado pelo ex-governador Aécio Neves. Quando ele assumiu, em 2003, o estado atravessava sérias dificuldades financeiras, mas Aécio se comprometeu a não penalizar o funcionalismo. Na época, a escala que empurrava o pagamento dos salários para o final do mês seguinte trabalhado foi abolida. Infelizmente, Fernando Pimentel voltou com a prática e ainda atrasa os salários dos servidores”, lamentou Domingos Sávio.

Ludibriar servidores

O escalonamento e o parcelamento dos salários sempre foram combatidos na Assembleia Legislativa pelos deputados integrantes do bloco de oposição Verdade e Coerência. “A incapacidade do PT de creditar os salários até o quinto dia útil demonstra a irresponsabilidade e a falta de compromisso com o funcionalismo estadual. O governo Pimentel não planeja as contas públicas e não permite que os servidores também o façam”, afirmava nota divulgada, ainda em março do ano passado, pelo bloco parlamentar logo depois do governo petista “ressuscitar” a escala de pagamento do funcionalismo estadual.

Os deputados já previam que a divulgação de calendários trimestrais não passava de uma estratégia para ludibriar os servidores, dando a falsa esperança de que a volta do fantasma do escalonamento era pontual, quando na verdade nada estava sendo feito pelo governo para reverter a situação. Quase dois anos depois, o escalonamento e o parcelamento continuam, mas agravados agora com os atrasos.

Leia também: Gestor responsável por parcelar salários em MG recebe seis remunerações