Você está em:
IMPRIMIR

Governo do PT em Minas retém dinheiro de crédito consignado pago por servidores e dá calote em bancos

30 de agosto de 2016

malabarismo de pimentel com dinheiro dos servidores

Matéria do “Valor Econômico” afirma que gestão petista já descontou valores na folha de agosto mas ainda não fez o repasse para instituições bancárias

O governo de Fernando Pimentel, do PT, está retendo o dinheiro de servidores estaduais para fazer caixa. Neste mês de agosto, a administração petista já descontou as parcelas de crédito consignado dos salários dos servidores que possuem essa modalidade de empréstimo, mas até agora não repassou o dinheiro para os bancos credores.

De acordo com matéria publicada nesta terça-feira (30/08) no jornal Valor Econômico, a Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF-MG) admitiu o atraso no repasse aos bancos, mas não informou o montante retido nem quando o pagamento será feito. Ainda de acordo com o Valor Econômico, Minas Gerais repassa mensalmente cerca de R$ 100 milhões a diversos bancos a título de crédito consignado. De acordo com a Secretaria da Fazenda, o prazo para repasse é o 17º dia útil de cada mês. Entretanto, o Valor Econômico apurou que os recursos deveriam ser repassados no 5º dia útil do mês, na mesma data do desconto feito no salário dos servidores.

“Ao efetuar o pagamento do salário, Pìmentel desconta o valor devido dos servidores que possuem crédito consignado. E, ao invés de quitar a dívida com os bancos, fica com o recurso para fazer caixa”, afirma o deputado Gustavo Valadares, líder da Minoria na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. “O governo petista está dando calote nos bancos e ficando com um dinheiro que não lhe pertence. Está dando calote com o dinheiro do servidor. Isso é apropriação indébita”, acrescenta.

Confira abaixo a íntegra da matéria do Valor Econômico

valor-economico1

valor.economico