Você está em:
IMPRIMIR

Governo Pimentel divulga nova data para pagamento dos servidores e deixa parcelas mais distantes do 5º dia útil

23 de junho de 2017

ESCALONA_2

Está longe de ter fim a agonia de milhares de servidores públicos que, há mais 18 meses, estão com seus salários atrasados e parcelados. Nesta sexta-feira (23/6), o governo de Fernando Pimentel divulgou um novo cronograma para o pagamento dos salários do mês de julho e as datas das parcelas ficaram ainda mais distantes do tão sonhado quinto dia útil. A primeira parcela para quem recebe acima de R$ 3 mil só será paga no dia 13/7, e as demais nos dias 20/7 e 26/7.

Ao contrário do que tem feito desde janeiro do ano passado, liberando o cronograma de três meses seguidos, dessa vez o governo divulgou apenas as datas do pagamento de julho. Para o líder do Minoria na Assembleia Legislativa, deputado Gustavo Valadares (PSDB), essa medida além de ser um desrespeito ao servidor, gera mais incertezas em relação ao planejamento de suas despesas.

“Os servidores estão há cerca de um ano e meio com seus salários atrasados e a cada mês uma nova data é publicada. Como manter suas contas em dia quando não se sabe a data certa em que o dinheiro vai ser creditado. Os atrasos começaram com um, dois dias. No entanto, os prazos estão ainda mais dilatados e, infelizmente, o governo não dá nenhuma sinalização de que essa situação será regularizada”, afirmou Gustavo Valadares.

Para os aposentados da administração direta do Estado a situação está mais complicada. Além do escalonamento, as datas anunciadas pelo governo não são cumpridas. A segunda parcela do vencimento do mês de junho, que deveria ter sido paga na última segunda-feira (19/06), só foi depositada na terça-feira seguinte, e no final do dia. Segundo relatos dos próprios servidores, a última parcela dos salários do mês de maio também havia sido paga com um dia de atraso.

A continuidade do parcelamento do salário do funcionalismo, segundo Valadares, revela a falta de planejamento e ineficiência da gestão petista em Minas. “Desde que assumiu o governo, Pimentel tem deixado a fatura de seu desgoverno para os cidadãos. Ao invés de penalizar os servidores, atrasando seus salário, o governador deveria promover a redução da máquina pública, cortando principalmente os supersalários de seus aliados”.

Fonte: Bloco parlamentar Verdade e Coerência