Você está em:
IMPRIMIR

Jeito PT de (des)governar: Governo de Fernando Pimentel promove sucateamento do Circuito Cultural Praça da Liberdade, em BH

7 de fevereiro de 2017

Reportagem publicada no jornal “Estado de Minas” mostra deterioração daquele que foi considerado um dos maiores complexos culturais do país

Um dos mais importantes complexos culturais do País está sendo desconstruído pela gestão petista

Um dos mais importantes complexos culturais do País está sendo desconstruído pela gestão petista

Dois anos após assumir o governo de Minas Gerais, um dos grandes “legados” da gestão de Fernando Pimentel, do PT, foi o aniquilamento de projetos bem-sucedidos implementados por gestões anteriores nas mais diversas áreas. O setor cultural foi um dos mais afetados pelo jeito petista de (des)governar. Um exemplo emblemático é a gradativa destruição e o sucateamento do Circuito Cultural Praça da Liberdade, criado pelas administrações tucanas e que chegou a ser considerado um dos maiores e mais importantes complexos culturais do país.

Numa inédita parceria entre o Governo do Estado e empresas privadas, os governos do PSDB implantaram museus e centros culturais com diversos acervos e atrativos culturais e turísticos nos antigos prédios da Praça da Liberdade, onde antes funcionavam repartições públicas transferidas para a Cidade Administrativa.Os monumentais prédios foram totalmente restaurados, sob a supervisão do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG). Além de criar mais opções culturais para belorizontinos e mineiros de todas as regiões, o Circuito Cultural se transformou em um dos principais pontos turísticos da capital mineira.

Entretanto, desde que assumiu a Secretaria de Cultura na administração do petista, o secretário de Cultura Ângelo Oswaldo não disfarçou a má vontade com o Circuito Cultural. Indiferente ao repúdio da população e também da classe artística e cultural, o desmonte não demorou a começar. Depois de fechar as portas do Palácio da Liberdade para visitação, encerrar a exposição interativa “Palácio da Liberdade: Memórias e Histórias” e desistir da implantação do Centro de Ensaio Aberto (Cena), o projeto Oi Futuro também sucumbiu à indiferença da administração do petista com o setor.

Jornal destaca retrocesso promovido pela gestão petista

De acordo com reportagem do “Estado de Minas”, atualmente há pelo menos 30 moradores de rua acampados atualmente na Praça da Liberdade

De acordo com reportagem do “Estado de Minas”, atualmente há pelo menos 30 moradores de rua acampados na Praça da Liberdade

Reportagem publicada pelo jornal “Estado de Minas” destaca o tamanho do estrago feito pela gestão petista. “Dois anos depois, o Palácio da Liberdade está fechado à visitação pública. O Palacete Dantas e o Solar Narbona permanecem desativados. Sem-teto se instalaram na entrada da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, dificultando o acesso de frequentadores – sobretudo crianças. As obras no antigo prédio do Ipsemg, futura Escola de Design da Uemg, caminham lentamente”, enumera a matéria.

Parece que até agora, passados mais de dois anos de administração, a única “marca” do governo Pimentel no complexo cultural foi um novo nome, como lembrou a reportagem do jornal. “O nome já é outro: batizado em 2010 com o Circuito Cultural Praça da Liberdade, atende como Circuito Liberdade.” Por ora, continua a reportagem, “tudo está na base do projeto”.

Complexo recebeu 4 milhões de visitantes entre 2010 e 2014

Há dois anos, Governo do “Partido dos Trabalhadores” impede população de visitar o Palácio da Liberdade, que abriga exposição interativa sobre a história política de Minas Gerais. Atualmente, o espaço é utilizado apenas para reuniões e para banquetes promovidos pelo governador Fernando Pimentel

Há dois anos, Governo do “Partido dos Trabalhadores” impede população de visitar o Palácio da Liberdade, que abriga exposição interativa sobre a história política de Minas Gerais. Atualmente, o espaço é utilizado apenas para reuniões e para banquetes promovidos pelo governador Fernando Pimentel

No final de 2014, o Circuito Cultural Praça da Liberdade já era considerado o maior complexo cultural do país, com 12 espaços culturais implantados. De 2010, data de sua implantação, até 2014, o Circuito Cultural Praça da Liberdade recebeu quase 4 milhões de visitantes. O Complexo Cultural foi apontado como a sexta atração turística do Brasil mais bem avaliada por viajantes de todo o mundo. A lista com dez atrações foi organizada pelo TripAdvisor, o maior site de viagens do mundo. A lista foi encabeçada pelo Cristo Redentor, do Rio de Janeiro.

Além de atrair, diariamente, milhares de visitantes para seus equipamentos e de colocar Belo Horizonte no eixo de grandes atrações artísticas e culturais, houve também, até 2014, uma grande preocupação com a formação de público que frequentava o Circuito e foram feitas parcerias com escolas da capital e da região metropolitana. A maior parte das atividades oferecidas era gratuita.

Vale lembrar que outros projetos culturais implantados nas gestões anteriores, como o Ballet Jovem e a Big Band do Palácio das Artes e os projeto “Valores de Minas” e “Vozes do Morro”, implantados pelo SERVAS, também foram descontinuados pelo governo de Fernando Pimentel.

Leia também:

Minas não quer retrocesso na cultura

Governo do PT decreta fim do Valores de Minas