Você está em:
IMPRIMIR

Governo de Minas não disponibiliza medicamentos e 143 pessoas em Guaxupé poderão ficar sem tratamento

26 de junho de 2017

medicamento-generico (1)

selogestaotucana

Mais uma vez servidores da Prefeitura de Guaxupé estiveram na Secretaria Regional de Saúde, na cidade de Alfenas, no Sul de Minas, para buscar os medicamentos de alto custo, fitas de glicemia e glicosímetros e foram informados da não disponibilidade. Há cerca de dois anos o governo de Fernando Pimentel (PT) parou de enviar os medicamentos. Mesmo diante das inúmeras cobranças feitas pela Prefeitura, os pacientes estão correndo risco por ficarem sem o devido tratamento feito com os medicamentos de alto custo.

De acordo com Elina Costa, secretária municipal de Saúde, as pessoas estão passando por dificuldades seríssimas e a Prefeitura fica impossibilitada legalmente de adquirir os medicamentos, uma vez que fazem parte da lista sob responsabilidade do governo estadual: “Há dois anos enfrentamos este problema. O cidadão que faz uso de medicamentos de alto custo estão padecendo de atenção do Estado e ninguém consegue uma resposta. O que sempre nos dizem é que não tem o medicamento disponível aos municípios e pronto. Ficamos de pés e mãos atados, pois é uma responsabilidade do governo de Minas”, desabafou.

A preocupação maior é que cada mês que passa a relação de medicamentos indisponíveis pelo estado aumenta ainda mais. Desta vez, até mesmo os aparelhos que medem a glicose, utilizados diariamente pelos diabéticos, estão em falta e a data para a regularização da situação, ninguém sabe.

“Eles não dizem o por que e tampouco nos dá a esperança de que a situação será regularizada. Na Regional de Alfenas, onde buscamos estes medicamentos para serem entregues aqui em Guaxupé, dizem que o problema é no Governo e quando questionamos a Secretaria do Estado, não temos resposta alguma”, disse Elina.

A situação, por sua gravidade, está sendo tratada pela Secretaria Municipal de Saúde e pelo Jurídico da Prefeitura: “Não podemos deixar estas pessoas sem os medicamentos. Portanto, acionamos o nosso jurídico para que as providências legais possam ser tomadas junto ao governo de Minas e estes medicamentos disponibilizados. O povo não tem culpa da crise que vive o estado”, finalizou a secretária Elina.

Ao contrário do estado, a gestão de Jarbas Corrêa Jr., o Jarbinhas (PSDB), prefeito do município, tem mantido a distribuição regular dos medicamentos existente na lista do Remume (Relação Municipal de Medicamentos) e somente de janeiro a maio deste ano investiu mais de R$785 mil.