Você está em:
IMPRIMIR

Oposição protocolará representação no MP e ação popular no TJ contra uso do dinheiro público para fins políticos

6 de setembro de 2016

Dinheiro dos contribuintes mineiros usado para fins políticos

Mais uma vez o dinheiro do contribuinte é usado para fins políticos pelo PT

Governo de Minas atrasa salário de servidores, mas patrocina evento para Lula e contra o impeachment

Os líderes da oposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) irão protocolar uma representação no Ministério Público Estadual (MP-MG) e uma ação popular no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) contra o uso de dinheiro público para patrocinar interesses do PT. O mesmo governo que alega não ter dinheiro para pagar em dia o salário dos servidores públicos está usando o dinheiro do contribuinte mineiro para custear o Acampamento do Levante Popular da Juventude, um evento de cunho político-partidário contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, companheira de partido e amiga pessoal do governador Fernando Pimentel.

Na ação, os deputados deputados Gustavo Corrêa (DEM) e Gustavo Valadares (PSDB) denunciam o uso de mais de R$ 100 mil dos cofres públicos para custear o evento que começou ontem (05/09) e vai até a próxima sexta-feira (09/09). Além de utilizar o dinheiro do cidadão, o governo de Minas ainda liberou o ginásio do Mineirinho para a realização do acampamento que tem como um dos destaques da programação a palestra do ex-presidente Lula.

“É inadmissível que o governador Fernando Pimentel inverta a lógica das prioridades dessa forma, colocando os interesses do PT acima dos interesses da população. Este governo deveria estar preocupado em pagar em dia os salários dos servidores, que há oito meses estão reféns de parcelamentos e escalonamentos, e em planejar ações públicas que garantam avanços no Estado, ao invés de gastar os recursos, já escassos, com ações que visam dar palanque político a seus companheiros de partido”, afirmou o deputado Gustavo Corrêa, líder do Bloco Verdade e Coerência.

No site do Levante Popular da Juventude, o evento é apresentado claramente como um ato de manifestações contra o atual governo do presidente Michel Temer. Durante um debate realizado na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, no último dia 31 de agosto, umas das representantes do Levante, Débora Costa, chegou a afirmar que o acampamento seria “um desafio para mostrar que não vamos baixar a cabeça. Vamos nos reunir para dizer não e gritar fora Temer”.

O Acampamento do Levante Popular recebeu R$ 50 mil de via concessão de patrocínio da Secretaria de Estado de Governo (Segov), conforme publicado no Diário Oficial de 31 de agosto. O BDMG admitiu patrocinar o evento com outros R$ 50 mil e a Cemig, também é patrocinadora, mas não revelou os valores repassados à Associação Coletiva da Juventude – razão social do Levante Popular da Juventude, que se auto denomina “organização de jovens militantes”.

Fonte: Bloco Parlamentar Verdade e Coerência

Leia também Governo Pimentel, do PT, usa dinheiro dos contribuintes mineiros para financiar evento que faz pregações contra o impeachment