Você está em:
IMPRIMIR

Governador petista inaugura mais uma indústria viabilizada pelas administrações do PSDB e aliados no estado

9 de junho de 2016

Fábrica da Danone inaugurada na quarta-feira (08/06), em Poços de Caldas, como se fosse obra do PT, na verdade começou a ser construída no governo do tucano Antonio Anastasia

banner - fitavermelhainaugura

O governo de Fernando Pimentel, do PT, continua a tirar proveito das realizações das gestões do PSDB e aliados. E o pior é que os petistas não têm a hombridade de dar crédito aos resultados positivos proporcionados pelos governos anteriores. Nessa quarta-feira (08/06), por exemplo, Pimentel “inaugurou” mais uma fábrica atraída para Minas pelos governos tucanos. E como era de se esperar, mais uma vez o petista não deu crédito às administrações do PSDB.

Desta vez, foi inaugurada, em Poços de Caldas, no Sul de Minas, a fábrica da divisão de nutrição infantil do Grupo Danone no Brasil, a Danone Early Life Nutrition. A instalação da unidade foi firmada com a direção da companhia pelo governo do tucano Antonio Anastasia e o anúncio foi feito, em novembro de 2013, pelo presidente da Danone Brasil, Mariano Lozano, durante evento realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. (Clique na imagem abaixo para ver mais detalhes)

Notícia publicada na Agência Minas em novembro de 2013 demonstra que fábrica da Danone foi atraída em 2013 pelo governo de Antonio Antastasia, do PSDB

Notícia publicada na Agência Minas em novembro de 2013 demonstra que fábrica da Danone foi atraída em 2013 pelo governo de Antonio Antastasia, do PSDB

Sem ter conseguido atrair investimentos para o estado e prestes a, inacreditavelmente, a extinguir a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico em sua reforma administrativa que está na Assembleia Legislativa, a alternativa do governador Fernando Pimentel, do PT, há um ano e meio no cargo, é inaugurar obras viabilizadas por governos anteriores. É a herança bendita deixada pelas administrações do PSDB e de aliados para o Estado.

Não é a primeira vez que o petista “inaugura” um empreendimento de grande porte captado pelas administrações anteriores como se fosse obra do PT. Foi assim em junho de 2015, em Itabirito (região Central do Estado), na inauguração de uma nova unidade da Coca-Cola Femsa. A atração da fábrica foi resultado da política de diversificação da economia de Minas realizada pelas administrações tucanas. O anúncio da fábrica foi feito em janeiro de 2014, durante um encontro do então governador Antonio Anastasia com o então diretor geral do grupo mexicano Coca-Cola Femsa, Carlos Salazar Lomelin, realizado em Davos, na Suíça, como demonstra fac-símile de matéria abaixo também publicada na Agência Minas (Clique na imagem para ver mais detalhes).

agencia.minas2

Também no ano passado, o governador Pimentel participou da inauguração de outro grande empreendimento viabilizado durante as gestões anteriores. Na ocasião, ele fez uma cerimônia de inauguração da fábrica da cervejaria Ambev em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.  Na realidade esta fábrica foi viabilizada em 2012, quando, depois de mais de um ano de intensas negociações, capitaneadas pela equipe do então prefeito Odelmo Leão (PP) e do então governador Antonio Anastasia (PSDB), e sem qualquer colaboração do então governo federal petista, foram assinados os protocolos de intenções que viabilizaram as obras. Apesar da “inauguração” ter ocorrido sob o governo petista em 2015,  a indústria já estava operando desde 2014. Clique AQUI para saber mais.

Governos do PSDB e aliados atraíram R$ 182 bilhões em investimentos privados

Entre 2003 e 2014, durante as gestões de Aécio Neves e Antonio Anastasia, do PSDB, e de Alberto Pinto Coelho, do PP, foram assinados protocolos de intenções com o governo estadual para instalar ou ampliar unidades nas diversas regiões do Estado, somando um total de aproximadamente R$ 182 bilhões. A maior parte destes investimentos foi concretizada até 2014 ou estava em fase de implantação, com geração estimada de 250 mil empregos diretos.

Confira alguns exemplos de empresas atraídas para o Estado, como fruto da política de atração de investimentos vigente em Minas Gerais no período 2003 a 2014, que beneficiaram municípios de todas as regiões do Estado:

grafico