Você está em:
IMPRIMIR

Gestões tucanas tornam Extrema cidade mais desenvolvida do país

17 de março de 2016

Extrema-foto-panoramica

Administrado pelo PSDB desde 1989, município do Sul de Minas ficou em 1º lugar em ranking da Firjan publicado pela Exame

selogestaotucana

Extrema, no Sul de Minas, foi considerada a cidade mais desenvolvida do Brasil, de acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Com base em dados de 2013, a instituição avaliou vários indicadores, como educação, saúde, emprego e renda. Os resultados do levantamento nacional foram divulgados pela revista Exame no dia 6 de janeiro.

O município de 28.564 habitantes, que fica a 484 quilômetros de Belo Horizonte, é administrado há mais de duas décadas pelo PSDB. Também no Sul de Minas, Extrema encontra-se em posição de destaque, ocupando a quarta posição do PIB regional, atrás apenas dos maiores municípios da região, como Varginha, Poços de Caldas e Pouso Alegre.

A receita da cidade para 2016 é estimada em R$ 162 milhões e, no final de 2015, a prefeitura possuía em caixa cerca de R$ 40 milhões, um fato quase inédito em se tratando de Brasil.

Ao apresentar as 50 cidades mais desenvolvidas do Brasil, os responsáveis pelo estudo do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) ressaltaram que em menos de uma década Extrema pulou da 569ª posição para o primeiro posto do ranking graças a uma série de avanços nas áreas de Educação e Saúde.

“Extrema é um caso interessante, porque ele (o município) conseguiu reverter, justamente, as conquistas econômicas dele para a área social”, destaca Tatiane Sanchez, chefe da Divisão de Pesquisa e Estatística do Sistema Firjan. (ASSISTA AO VÍDEO)

O IFDM – Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema Firjan que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de cinco mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego e renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

“Para se ter uma ideia, a cidade possui um mercado de trabalho com capacidade para empregar 65,7% de sua população em idade ativa – o dobro da proporção média do país. Mas não é só isso. Extrema também erradicou o abandono escolar no Ensino Fundamental e possui um IDEB médio de 6,1 – enquanto a média do país é de 4,5”, exemplificou a reportagem da revista Exame. (LEIA AQUI)

A qualificação da mão de obra da população também foi uma preocupação das administrações tucanas de Extrema. Há dez anos, a prefeitura implantou o Programa Bolsa Estudantil, que paga até 50% da mensalidade dos jovens que querem cursar uma faculdade, fazer uma pós-graduação, frequentar um curso técnico ou profissionalizante. O programa já beneficiou quatro mil alunos. Foram investidos R$ 7,7 milhões na formação de profissionais qualificados.

Extrema-grafico

Extrema-grafico2

 

Modo tucano de governar

Extrema é um exemplo do modo tucano de governar. O município é administrado desde 1989 pelo PSDB e o atual prefeito, Luiz Carlos Bergamin, está em seu quinto mandato. Na última eleição, ele foi reeleito com 65,73% dos votos. Além Bergamin, outro tucano, Sebastião Rossi, ocupou a prefeitura por duas vezes.

“Essa é uma prova de que é possível unir desenvolvimento econômico com qualidade de vida”, disse o prefeito em sua fan page no Facebook ao comemorar o título inédito de Melhor Cidade do Brasil em Desenvolvimento Municipal. “Este resultado é uma conquista de cada morador, de cada trabalhador, de cada empreendedor que ama esta cidade. Parabéns a todos nós!”, escreveu em outro post.

Até agora, Extrema foi a única cidade de Minas Gerais a ocupar a liderança desse importante ranking, que pela primeira vez não é ocupada por um município paulista.

Gestão privilegia a técnica

Em Extrema, nenhum secretário ou gerente de governo foi indicado por partidos, são todos técnicos em suas funções. O secretário de Saúde, por exemplo, é um administrador especializado em Saúde e foi convidado após ter desenvolvido todo um trabalho na administração de um hospital. O secretário de Meio ambiente, por sua vez, é biólogo e a Gerente de Turismo, uma turismóloga – para ficar apenas nestes três exemplos.

“Em Extrema não existe o loteamento da administração para conseguir o apoio político. Cada secretaria tem metas e é avaliada por indicadores de desempenho. O resultado, além de todas as obras, é a situação da prefeitura hoje. Todas as contas estão pagas, há 32 grandes obras em andamento e, ainda assim, temos R$ 47 milhões em caixa”, explica o prefeito Luiz Carlos Bergamin (PSDB).

A receita para o sucesso de sua administração o prefeito não esconde. “Além da gestão eficiente, administramos o município sem nenhum tipo de populismo. Zelamos pelo dinheiro público e administramos com seriedade. E o objetivo final é sempre oferecer serviços de qualidade à população”, ensina.

Para o presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio, a postura adotada pela administração tucana de Extrema raramente é encontrada nas diversas esferas públicas do país. “É só dar uma olhada nas administrações do PT país afora e, especialmente no modelo adotado pelo governo federal, onde os ministérios são ocupados e utilizados apenas como moeda de troca partidária”, afirma.

População avalia serviços prestados

Projetos aparentemente simples foram os responsáveis pelos bons resultados de Extrema. Um exemplo é o que premia funcionários da área da saúde pelo bom atendimento à população.

Em toda a rede pública de saúde, os pacientes recebem fichas onde podem avaliar a qualidade do atendimento prestado. Estas fichas são colocadas em caixas de sugestão e avaliadas posteriormente. Os pacientes avaliam o serviço oferecido pela prefeitura e os responsáveis recebem bônus em dinheiro. Além de serem avaliados pela população, os funcionários municipais precisam cumprir metas.

Programa semelhante foi implantado no estado pelo então governador Aécio Neves, também do PSDB. Através do Acordo de Resultados, o governo de Minas pagava um prêmio de produtividade para os servidores que alcançavam metas de desempenho definidas para cada área de atuação.

A população mineira foi a maior beneficiada, uma vez que as metas fixadas e cumpridas pelo funcionalismo estadual estavam relacionadas à melhoria de indicadores sociais, como queda da mortalidade infantil, redução das taxas de criminalidade e de pobreza e desempenho dos alunos nas escolas públicas.

Com a posse de Fernando Pimentel como governador de Minas em 2015, este programa foi um dos muitos projetos extintos pelo PT no estado. Ao contrário das gestões do PSDB, com a de Extrema, que modernizam a administração pública com a valorização dos servidores, a implantação da meritocracia no serviço público e a busca por mais produtividade nas diversas áreas, o PT coloca o estado a serviço dos interesses do partido, em detrimento da população.

Destaque nacional

Extrema-agua2

Extrema-aguaNão é a primeira vez que Extrema é destaque na mídia brasileira e apontada como exemplo para o país. No dia 19 de fevereiro de 2015, quando o país discutia e sofria com a crise hídrica, o Jornal Nacional, da Rede Globo, trazia uma reportagem mostrando o projeto Conservador das Águas implantado há dez anos pela Prefeitura de Extrema para a recuperação das matas em torno das nascentes dos rios.

Como resultado, a seca ficou longe dos produtores rurais do município mineiro enquanto grande parte do Brasil amargava prejuízos com a falta d’água. (ASSISTA À REPORTAGEM)

Assim, desde 2005, a cidade é considerada um bom exemplo ambiental por causa do projeto Conservador das Águas. A proposta da iniciativa da prefeitura é pagar o proprietário rural pela prestação de serviços ambientais. (LEIA MATÉRIA Projeto envolve proprietários rurais na preservação de nascentes de rios)

O projeto também chamou a atenção de uma publicação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão do governo federal. Em maio de 2014, a revista “Desafios do desenvolvimento” trouxe uma grande reportagem com o título “Melhores Práticas – A multiplicação das águas”. Confira, abaixo, a apresentação da matéria:

Extrema, no sul de Minas Gerais, era um ponto esquecido na Serra da Mantiqueira. Então a cidade inovou em práticas ambientais, passou a jorrar mais águas de suas nascentes no rio que abastece 9,5 milhões de paulistas, atraiu turistas e empresas, tornou-se o melhor município mineiro para se viver e, se não bastasse, acaba de ser premiada pela ONU como um bom exemplo para o país e o mundo. Como esse lugarejo conseguiu tantos feitos em tão pouco tempo? O pulo-do-gato é um programa que paga os produtores rurais para que conservem suas fontes de água potável. (LEIA REPORTAGEM COMPLETA)

População se identifica com o PSDB

A população da cidade mais desenvolvida do Brasil tem uma longa história com o PSDB e se identifica com os princípios da social democracia defendidos pelo partido. Prova disso foram as últimas eleições. Os candidatos do PSDB foram os mais votados em Extrema.

O senador Aécio Neves, por exemplo, foi o preferido para ocupar a presidência da República por 66,73% dos extremenses e o candidato tucano ao governo do estado, Pimenta da Veiga, obteve 62,4% dos votos. Já o senador Antonio Anastasia recebeu 9.938 votos, que correspondem a 72,29% do eleitorado.

Também os deputados mais votados no município são tucanos: para a Câmara dos Deputados, o majoritário foi Rodrigo de Castro, com 44,41% dos votos. Para a Assembleia Legislativa, o deputado estadual mais votado no município foi Dalmo Ribeiro. Recebeu 51,47% dos votos de Extrema.

Confira entrevista exclusiva com o prefeito Luiz Carlos Bergamin

O prefeito Luiz Carlos Bergamin (à direita) e o vice João Batista

O prefeito Luiz Carlos Bergamin (à direita) e o vice João Batista

– As administrações do PSDB deixaram uma marca em Extrema. Qual a receita do sucesso e qual será o legado do partido para o município?

Deixamos um legado que mostra claramente que é possível praticar política com “P” maiúsculo no Brasil, fazer uma administração austera, honesta, com foco na população e de resultados. Chegamos a um ponto onde dizer em público que se é um político, dá vergonha. É quase um sinônimo de corrupto. Então quando olhamos para Extrema, vemos que é possível fazer diferente, é possível fazer melhor, é por isto que estamos há quase três décadas no governo.

– Quais os projetos para o futuro da cidade?

Extrema é hoje uma das cidades mais dinâmicas do Brasil, cresce em economia e em população. Precisamos direcionar este crescimento e dar resposta aos desafios, os novos projetos visam melhorar a qualidade de vida da população, por exemplo, com o investimento de R$ 8 milhões na construção da Fábrica de Cultura, um edifício moderno e amplo que vai abrigar cursos e manifestações de música, teatro, dança e outros. Hoje, a Cultura é um eixo marcante de nossa cidade e com esta conquista se fortalecerá.

– Na opinião do sr., de todas as premiações quais foram as mais importantes e significativas?

Ganhamos vários prêmios e é claro que ver Extrema sendo apontada pela Fundação João Pinheiro como a melhor de Minas e em seguida apontada pela FIRJAN como a melhor do Brasil é motivo de muito orgulho. Receber o prêmio de Boas Práticas em Sustentabilidade pela ONU e pelo governo de Dubai, também. Mas ter recebido a aprovação de nosso povo em cinco mandatos meus e dois do Dr. Sebastião Rossi, não tem preço. Receber a confiança e o crédito de cada eleitor é uma responsabilidade e, claro, uma grande honra.

– Como o partido está se preparando para as próximas eleições?

Sempre acreditamos e defendemos o planejamento, a organização, o profissionalismo. Por isto, já estamos com o quadro de filiados adiantado, todos aqueles que sonham em ser candidatos estão recebendo toda orientação. Aproveitamos cada oportunidade para conversar com grupos da sociedade e colher opiniões, críticas, sugestões, tudo que possa contribuir para o planejamento do próximo Plano de Governo. Os partidos devem se empenhar em qualificar os pré-candidatos, assim, vão poder oferecer para o eleitor o melhor time de candidatos.

O projeto Fábrica de Cultura