audios
Você está em:
IMPRIMIR

Entrevista coletiva senador Aécio Neves – Brasília – Eleições 2012

19 de junho de 2012

[audio:http://psdb-mg.org.br/sitenovo/wp-content/uploads/2012/06/19-06-12-Entrevista-Aécio-Neves-Brasília-eleições-2012.mp3|titles=19-06-12 – Entrevista Aécio Neves – Brasília – eleições 2012]

Download aqui 

Assuntos: Eleições municipais, aliança PT-SP com o deputado Maluf

Brasília  

Como o senhor vê a aliança do PT de São Paulo co Maluf? 

Eu acho que o discurso tem que se ser coerente com a prática. Não é a questão da aliança por si só.  Isso é o PT quem tem que dizer se está confortável ou não. Eu não julgo. Agora, o que me preocupa é se isso virar uma regra, a cessão de espaços públicos em troca de apoio a uma candidatura do partido, eu acredito que é uma utilização indevida do estado brasileiro. Você ter uma participação dos partidos aliados, obviamente respeitando a meritocracia, o conhecimento de causa, é uma coisa. É você ter um governo compartilhado. Outra coisa é você, às vésperas da eleição, começar a ceder espaços do governo para garantir alianças partidárias. Imagina se isso vira uma regra no Brasil? Isso não condiz com o discurso da faxina, ao contrário, isso desconstrói, na minha avaliação, totalmente o discurso da faxina, que o governo não se submeteria a arranjos desse tipo. Isso é que me chamou mais a atenção, e até mesmo o pouco constrangimento com que todos assumiram que isso partiu de uma negociação em que espaços de governo foram franqueados para apoio a uma candidatura do partido. O resultado eleitoral nós temos que aguardar, mas eu confio plenamente que José Serra será o próximo prefeito de São Paulo.

O que o senhor acha da interferência de Lula nessas eleições?

É o estilo dele. Acho que ele vai ser julgado um pouco mais adiante, se tem alguns exageros ou não. Enfim, eu acho que é o PT é que tem que dizer se está confortável ou não com essa aliança. Eu acho que muita gente não esquece as afirmações de parte a parte, de um em relação ao outro. Portanto, isso recomenda até um pouco mais de comedimento, não é?, no momento da condenação a um adversário que amanhã pode ser seu aliado. Acho que eles estariam mais confortáveis se não tivessem sido tão ácidos lá atrás de lado a lado.

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves