Você está em:
IMPRIMIR

Encontro debateu crescimento e valorização do turismo em Congonhas

12 de junho de 2018

Para debater ações que fomentem e fortaleçam o turismo e a economia local, a Prefeitura de Congonhas, a FUMCULT e o Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) se reuniram com profissionais ligados à atividade turística. O encontro, que foi promovido durante o “Café com Turismo”, realizado nesta quarta-feira, 6, no Museu de Congonhas, também discutiu o Plano de Implementação da Política Municipal de Turismo, que ainda será aprovado pela Câmara Municipal e, em seguida, encaminhado ao Poder Executivo.

Estiveram presentes o prefeito Zelinho, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia, Christian Souza Costa, o diretor-presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, o secretário municipal de Planejamento, Antônio Odaque, a secretária municipal de Obras, Rosemary Benedito, a vereadora e presidente do COMTUR, Patrícia Monteiro, o presidente da Câmara, Adivar Geraldo Barbosa, além de autoridades e pessoas interessadas no tema.

A vereadora e presidente do COMTUR, Patrícia Monteiro, apresentou um panorama da atividade turística da cidade, com base no Plano, levantando pontos positivos, como a existência do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, e negativos, como a falta de permanência do turista no Município. “Estamos muito animados e focados em realmente trabalhar pela cidade. A intenção desse encontro é realmente escutar quem está no meio. Estamos todos empenhados em fazer um trabalho diferenciado”, completa.

Uma ficha foi distribuída aos participantes, para que eles pudessem sugerir ações ligadas aos seguintes eixos: monitoramentos da demanda e da oferta turística; promoção turística; roteirização turística; infraestrutura de apoio ao turista; sensibilização e mobilização; qualificação profissional; e estruturação de atrativos turísticos.

Empresária do ramo do turismo, Marli Irene de Sousa, acredita que os profissionais da área devem se unir e que a própria população deve receber bem os turistas, demonstrando conhecimento sobre a cidade. “Achei muito interessante essa conversa. Para eu estar nesse ramo há 30 anos em Congonhas, é porque eu vejo sucesso. Eu aposto na minha cidade. Temos que conhecer o que nossa cidade tem para apresentarmos para o turista”, sugeriu.

Ações do Governo Municipal

O prefeito Zelinho destacou que o Município foi o único de Minas Gerais a ser contemplado com 10 obras do PAC Cidades Históricas. Entre os projetos, o Chefe do Executivo ressaltou a restauração da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, que será inaugurada no próximo dia 28, a restauração da Romaria e a construção do Teatro Municipal. “O Governo Municipal está plantando. Investiu no PAC Cidades Históricas. A Basílica foi restaurada e está lindíssima. A Romaria será um espaço que será apropriado pelos jovens. O turismo, de agora em diante, será uma realidade em Congonhas. Congonhas tem um patrimônio belíssimo. Os profetas são a marca de Minas Gerais, a marca do turismo no Brasil. Temos os 12 profetas e as capelas dos Passos da Paixão, que são obras conhecidas mundialmente. Estivemos em Portugal, visitando a cidade de Matosinhos. A igreja é belíssima, mas nem se compara às obras de Aleijadinho. No Brasil não se tem investimento no turismo. Os governos Estadual e Federal não investem na área. A manutenção do Santuário é feita pelo Município e pela Reitoria da Basílica”, disse.

O diretor-presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, destacou que o Governo Municipal tem investido no crescimento e a valorização do turismo em Congonhas. Entre esses processos, estão a criação da marca da cidade, o fortalecimento do Circuito Municipal de Museus e as obras do PAC Cidades Históricas. Em relação ao encontro, ele destaca: “Nunca vi tanta gente em função de uma causa. Se cada um fizer um pouquinho acho que conseguimos transformar a cidade nesse destino turístico e singular que sonhamos. Congonhas tem muito potencial para isso. É uma cidade que tem o maior conjunto do barroco das Américas. tem esse grande potencial turístico, mas nos falta esse poder de articulação que estamos mostrando aqui hoje”.

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia, Christian Souza Costa, é preciso criar alternativas para que os atrativos da cidade não se limitem apenas ao turismo histórico-cultural, mas abarquem, ainda, os turismos rural e ecológico. Segundo ele, há uma proposta de um Projeto de Lei concessão de incentivo fiscal para construção e funcionamento de hotéis e pousadas ao longo da estrada do Parque Ecológico da Cachoeira. “Do ponto de vista econômico, o turismo existe apenas no imaginário das pessoas. O turismo representa nem 1% de geração de riqueza para o nosso Município. E não é uma exclusividade nossa porque em Ouro Preto, que é uma cidade muito mais visitada que a nossa, o turismo representa apenas 2% da riqueza gerada. Há um grande desafio a ser vencido do ponto de vista econômico, de se transformar o turismo em economia, para gerar emprego e renda para as pessoas. Precisamos modernizar a questão do debate”, diz.

Plano Municipal de Turismo

Em abril deste ano, o Governo Municipal entregou ao COMTUR o Plano de Implementação da Política Municipal de Turismo. Conforme o documento, entre os pontos positivos e de relevância para o desenvolvimento turístico de Congonhas estão a criação do Circuito Municipal de Museus, as obras do PAC das Cidades Históricas e a implantação de sinalização viária interpretativa nos padrões internacionais. Além disso, o Município possui o maior conjunto de obras primas do Mestre Aleijadinho, pertence ao trajeto Estrada Real, e tem uma localização estratégica, sendo próximo de outras cidades históricas e turísticas de Minas Gerais e da capital mineira, Belo Horizonte.

Entre as metas para o desenvolvimento do turismo, estão Estruturar e diversificar os atrativos, equipamentos e serviços turísticos do município em curto e médio prazo; Dispor de mão de obra qualificada para atuação no setor turístico em médio prazo; Ampliar a inserção turística do município no âmbito nacional, em médio prazo; Integrar a comunidade local junto à atividade turística em médio prazo; Dispor de infraestrutura básica adequada ao turismo, em médio a longo prazo; Aumentar a permanência e o gasto médio do turista, a médio e longo prazo; Manter em funcionamento as atividades do COMTUR em curto, médio e longo prazo: respaldar o Conselho Municipal de Turismo de condições necessárias para a realização de suas atividades; Apoiar a realização de eventos de cunho turístico: com a finalidade de minimizar a baixa temporada e inseri-los no calendário oficial do município para garantir o sucesso destes eventos, fortalecendo-os como produtos turísticos em curto, médio e longo prazo.

Fonte: Portal da Prefeitura