Você está em:
IMPRIMIR

Atendimento do SUS nas Thermas Antonio Carlos, de Poços de Caldas, deve ser ampliado

20 de julho de 2017

O assunto foi discutido durante reunião realizada nesta semana

O assunto foi discutido durante reunião realizada nesta semana

selogestaotucana

As secretarias de Saúde e de Turismo querem que mais moradores de Poços de Caldas utilizem os serviços termais por meio do SUS. Uma reunião abordou a questão nas Thermas Antonio Carlos. Já existe atendimento pelo SUS nas Thermas para pessoas com mais de 60 anos e para alguns pacientes encaminhados pela rede.

Participaram da reunião o secretário de Saúde, Carlos Mosconi, o secretário de Turismo, Ricardo Fonseca, a diretora de Serviços Termais, Jussara Marrichi, o coordenador da Divisão de Controle e Avaliação, Edson Avella, o reumatologista e doutor em Hidrologia Médica, Marcos Untura Filho, o geriatra Ogilson Fernandes Westin, o médico de família e comunidade, Euclides Colaço, o fisioterapeuta Wellington Roberto Bertozzi e as apoiadoras da Atenção Básica, Miriam Cioffi e Juliana Bacelar.

“Temos o médico que atende aqui no balneário, as pessoas com mais de 60 anos, que avalia os casos e faz a prescrição, além dos pacientes que já vem com indicação de banhos. São cerca de mil atendimentos por mês e os custos são absorvidos por nós mesmos, com a receita gerada pelos serviços tarifados”, disse Jussara Marrichi.

Organizar e ampliar o atendimento pelo SUS também abre a chance de custeio deste trabalho oferecido, segundo o secretário de Saúde. “Vamos investir no termalismo social, porque as Thermas oferece este potencial, com as águas, com a estrutura, com a sala de mecanoterapia, única no mundo e com a fisioterapia. O SUS reconhece este tipo de atendimento como medicina alternativa e isso nos abre a possibilidade de inclusive receber pelos serviços prestados no local”, afirmou Carlos Mosconi.

Como em quase todos os tratamentos, há indicações e contraindicações. O geriatra que atende nas Thermas explica que “os banhos são eficazes para doenças reumáticas, ortopédicas, circulatórias, em processos inflamatórios, respiratórios e de reabilitação e a lista é ampla, por isso, cada caso deve ser avaliado pelo médico. Além disso, há situações em que o tratamento não pode ser aplicado como para pacientes oncológicos, por exemplo”, esclareceu Westin.

Marcos Untura Filho utiliza os banhos termais para a reabilitação de pacientes desde 1982 e defende esta abertura. “A água não pode ser domínio de alguns. Todo mundo deve ter o direito de utilizar até mesmo dentro da universalidade que é o princípio do SUS. O que percebo neste tempo todo é que o tratamento termal faz bem também porque o paciente sente que aquilo é para ele. Essa individualização do tratamento faz muito bem, faz toda diferença”, afirmou o médico.

O próximo passo será criar um protocolo, baseado nas indicações e contraindicações do tratamento, para organizar o trabalho dos médicos da atenção básica. Depois disso, haverá uma capacitação para que eles conheçam o que poderá ser oferecido aos pacientes no balneário. “Estamos passando por um período de transição, com médicos deixando o município e novos médicos chegando, inclusive os cubanos, e é muito importante apresentar a todos eles esta estrutura que é única”, disse Juliana Bacelar, apoiadora da Atenção Básica.

O secretário de Turismo reforçou que o espaço está à disposição para o desenvolvimento do termalismo social. “O turista já conhece as Thermas, nós queremos proporcionar ao morador também esta possibilidade”, disse Fonseca.

“Este é um espaço maravilhoso que temos em Poços e que precisamos aproveitar da melhor maneira possível, mas pra isso é necessário que todos os médicos do nosso sistema de saúde conheçam o serviço para poder utilizá-lo e indicá-lo aos pacientes. Vamos trabalhar para que isso se torne uma realidade”, finalizou Carlos Mosconi.

As Thermas Antônio Carlos foi o primeiro estabelecimento termal do Brasil

As Thermas Antônio Carlos foi o primeiro estabelecimento termal do Brasil