Você está em:
IMPRIMIR

A pedido de tucanos, subcomissões permanentes serão criadas na Comissão da Educação

20 de abril de 2017

caio.comissao.educacao

Presidida pelo PSDB, a Comissão de Educação aprovou a criação de subcomissões a pedido de tucanos, assim como a realização de audiência pública sobre educação emocional na formação dos estudantes da educação básica. O presidente, deputado Caio Narcio (PSDB-MG) (foto), é autor de proposições acatadas.

Por sugestão do jovem parlamentar mineiro, o colegiado sugeriu a criação de uma subcomissão permanente de acompanhamento da reformulação do Ensino Médio. “Considero relevante, no momento em que estamos, discutirmos a questão da implementação do novo ensino médio e incluir nesse texto a Base Nacional Curricular para acompanharmos e avaliarmos esse tema de tamanha relevância”, afirmou Caio.

Também será criada a subcomissão permanente sobre a primeira infância, a pedido de outro jovem parlamentar tucano: Pedro Cunha Lima (PSDB-PB). Para ele, é preciso agir de maneira mais decisiva diante do tema e acompanhar de perto as políticas públicas que são implementadas. “O começo da vida é a fase mais sensível do desenvolvimento humano, é o momento mais decisivo. Estudos científicos mostram, de uma maneira muito precisa, o déficit que a falta de investimento no início do desenvolvimento pode causar”, avisou o tucano.

Com isso, a Comissão da Educação fica composta por três subcomissões permanentes: para acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do PNE; da Base Nacional Comum Curricular com o Novo Ensino Médio; e da Primeira Infância.

Audiência pública

Outro requerimento de Caio Narcio também foi aprovado. O parlamentar requisita a realização de audiência pública sobre educação emocional na formação dos estudantes da educação básica. “A questão da educação emocional tem sido relevante em momento em que as crianças e jovens estão enfrentando dificuldades nas suas relações, seja em casa, com os colegas ou nas aulas. A educação emocional tem surgido como uma das alternativas para melhorar o comportamento desses jovens”, justifica o deputado. Para ele, é preciso tratar sobre o tema para demonstrar os avanços da implementação dessa iniciativa nas escolas e de seus impactos no desenvolvimento sócio emocional dos jovens.

Já o deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG) teve parecer aprovado pela rejeição de projeto de lei (2487/2007) que faculta aos portadores de deficiência auditiva o ensino de língua estrangeira, desde que o estabelecimento de ensino utilize a Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Segundo o parlamentar, “a medida não seria educacionalmente favorável aos deficientes auditivos, pois os colocaria em posição de desvantagem em relação aos demais alunos, ao limitar-lhes o aprendizado de conhecimento tão fundamental no mundo moderno globalizado”. O parecer foi aprovado por unanimidade.

Fonte: PSDB na Câmara