Você está em:
IMPRIMIR

Privatizações também deveriam ajudar contas da Previdência, propõe Raul Velloso

16 de novembro de 2017

“A decisão de privatizar a Eletrobrás valorizou a empresa, que poderá ser vendida pelo setor público. Isso representará um ganho expressivo para os cofres do governo. Aproveitem esse ganho para ajudar na reforma da Previdência”, sugere Raul Velloso, economista e especialista em finanças públicas. Para ele, o valor dos ativos decorrentes das privatizações devem ser bem administrados e aproveitados para causas nobres e importantes do país. Vender empresas estatais para cobrir qualquer despesa, sem um planejamento mais claro da destinação dessa receita, é desperdiçar os valiosos recursos produzidos pela privatização.

Em entrevista ao Portal ITV, Raul Velloso analisa os efeitos positivos da privatização para o Estado brasileiro, mas destaca a importância de racionalização desses ativos para a sustentabilidade fiscal do país. Velloso também explica como as privatizações podem equacionar o passivo Previdenciário e avalia o impacto da possível privatização da Eletrobrás para o Brasil. “Precisamos evoluir na direção de um sistema mais privado possível. Na maioria dos países, o sistema voltado para a propriedade do Estado não funcionou em beneficio da população. Essa dúvida não existe mais. O que existe é a resistência de quem se beneficia do sistema dominado pelo Estado”, declara.

Assista à íntegra da entrevista: