Rodrigo de Castro alerta para queimadas na Amazônia e desmonte de órgãos

30 de abril de 2016

O deputado Rodrigo de Castro (MG) cobrou, em discurso da tribuna, ações de combate às queimadas na Amazônia. Ele criticou o desmonte de órgãos ambientais e políticas equivocadas na proteção do meio ambiente.

Na avaliação do parlamentar, a questão deve ser tratada também no âmbito social, pois cerca de 25 milhões de brasileiros moram na região.

“Não é possível nós pregarmos desenvolvimento sustentável quando muitas das pessoas estão vivendo ainda sem acesso à energia elétrica na região que mais produz energia elétrica no nosso País. Isso é inconcebível e é um retrato de como nós brasileiros, de como diferentes governos têm errado ao encarar essa questão”, ressalta.

“Não podemos tolerar o desmonte dos órgãos ambientais no Brasil, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). E este governo tem tido políticas equivocadas em relação à proteção ao meio ambiente”, afirma.

Rodrigo enfatiza que, por meio da proteção, é possível criar um modelo sadio de desenvolvimento tecnológico ambiental de biodiversidade para os brasileiros. Segundo ele, a comissão especial criada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia, para acompanhar o combate às queimadas é um primeiro passo.

“Temos que revisar a nossa legislação, temos que estar ao lado da fiscalização, temos que cobrar mais verbas para os órgãos, mais incentivo para que nós possamos cuidar da Amazônia e dar a todo aquele povo alento, novas oportunidades, além de respeito por parte dos brasileiros, para que possamos preservar aquele imenso patrimônio de biodiversidade”.

Rodrigo de Castro alerta que é necessário tratar de áreas já devastadas, com projetos de revitalização, projetos de inserção da população da Amazônia em programas de desenvolvimento, e fiscalização do ICMBio e do IBAMA.