Confira nota do PSDB de Minas Gerais sobre fechamento do Palácio Tiradentes na Cidade Administrativa

30 de abril de 2016

O fechamento do Palácio Tiradentes busca desviar a atenção do ato de protesto de mais da metade dos prefeitos de Minas que, nesta sexta-feira, na Cidade Administrativa, manifestaram sua indignação com a administração desastrosa e caótica que o governo Pimentel vem proporcionando aos servidores, aos fornecedores do Estado, aos municípios e a todos os mineiros.

O descaso do governador com as condições de trabalho dos servidores do Estado começou desde o primeiro dia de seu mandato, quando ele optou por transferir seu gabinete para o Palácio da Liberdade, o que levou, inclusive, ao fechamento das portas para a população de um importante acervo do Circuito Cultural.

A Cidade Administrativa foi construída sem usar recursos do Tesouro do Estado para oferecer aos funcionários públicos condições adequadas entre outros ganhos. A centralização da estrutura governamental do Estado foi apontada pelo Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado como um dos fatores necessários a dar maior eficiência e qualidade aos serviços públicos prestados.

De 2011 a 2015, a Cidade Administrativa já representava uma economia de R$ 590 milhões aos cofres públicos com a racionalização de custos, como aluguéis, luz, água, combustível e vigilância, entre outras. Uma economia que deveria vir sendo acumulada ano a ano.

Os erros do governo do PT em Minas podem ser medidos pelo tamanho do déficit do Estado, de R$ 8,2 bilhões previsto para este ano. Em 2014, Minas registrou um superávit primário de R$ 3,1 bilhões, segundo atestou o Banco Central. Resultados que demonstram a diferença entre as duas gestões e seus compromissos com a população.

Diretório do PSDB de Minas Gerais