Comissão faz audiência sobre calote do governo Pimentel do desconto do crédito consignado

30 de abril de 2016

A Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais debate, nesta terça-feira (14/11), as denúncias de retenção dos repasses do crédito consignado pelo governo do Estado. Vários servidores públicos que possuem empréstimo com pagamento em folha estão correndo o risco de terem seu nome negativado porque o governo de Fernando Pimentel desconta os valores em seus salários, mas não repassa o dinheiro às instituições financeiras credenciadas.

A audiência pública será realizada às 14h30 no auditório José Alencar, a pedido do deputado Sargento Rodrigues (PDT). Segundo ele, as denúncias são graves e precisam ser apuradas com rigor por se tratarem de apropriação indébita. “Isso é um absurdo. O servidor paga rigorosamente seu empréstimo todo mês, enquanto o governo faz caixa com o dinheiro que, na verdade, pertence aos bancos. Ao aplicar esse calote, o governo deixa o servidor com o nome sujo e desacreditado no mercado”, criticou.

Notícias de apropriação dos repasses do consignado estão sendo registradas há mais de um ano. O bloco de oposição na Assembleia, do qual o deputado faz parte, já questionou a Secretaria de Estado de Fazenda, via Lei de Acesso à Informação, sobre a regularidade desses repasses e não obteve resposta. “É sempre assim. Como não se tem transparência nesse governo, cabe à Assembleia fiscalizar e cobrar uma solução para esse problema”.

Para a reunião foram convidados os secretários de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, e de Fazenda, José Afonso Bicalho, além de representantes do Banco do Brasil, Caixa Econômica, Itaú, Sicoob, BMG e Bonsucesso.

AGENDA

Audiência Pública para debater a retenção do crédito consignado

Data: 14 de novembro

Horário: 14h30

Local: Assembleia Legislativa de Minas – auditório José Alencar