Governo do PT admite que escalonamento de salários dos servidores pode ser por tempo indeterminado

30 de abril de 2016

jeitoPT

Prática extinta por Aécio Neves em 2003 foi “ressuscitada” pelo governador Fernando Pimentel, complicando a vida de milhares de famílias mineiras

Depois de começar, no final de 2015, a atrasar os salários dos servidores do Estado e agora no início de 2016 ter iniciado o escalonamento, o governador Fernando Pimentel, do PT, pode adotar essa prática por tempo indeterminado.

De acordo com reportagem do jornal Estado de Minas, publicada nesta terça-feira (02/02), o escalonamento anunciado pelo governo Pimentel, previsto inicialmente para os vencimentos de janeiro, fevereiro e março – pagos nos meses seguintes –, poderá ser estendido pelo menos em relação ao contracheque de abril, quitado em maio. A informação foi dita pelo secretário de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais, o petista Marco Antônio Rezende. “A tendência é manter o escalonamento”, diz o secretário de Pimentel na reportagem.

O escalonamento dos salários dos servidores foi extinto em 2003 pelo então governador Aécio Neves (PSDB). Além de extinguir o escalonamento, no governo Aécio (2003 a 2010) os servidores sempre receberam no quinto dia útil do mês. De 2011 a 2014, nos governos de Antonio Anastasia (PSDB) e Alberto Pinto Coelho (PP) os compromissos com os salários dos servidores seguiram em dia.

“Este é mais um importante legado das administrações tucanas que o ineficiente governo do PT está conseguindo destruir”, afirma o presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio.